Incertezas certas

A vida não é composta apenas de momentos bons ou de momentos maus, é um equilíbrio entre esses altos e baixos que pauta a nossa existência. Tendencialmente lembramo-nos dos momentos muito bons, embora fugazes, e atribuímos mais peso aos momentos menos bons na esperança que estes nos tragam lições de vida e nos impeçam de cometer os erros do passado. Vivemos nessa ilusão, que tudo são lições e jamais nos vamos deixar apanhar pelo destino. É precisamente nessa certeza incerta que a vida nos prega partidas e as lições que outrora pensámos aprendidas não passaram de ideias mal num post-it mal colado que ao mínimo abano desaparecem! São dores intrínsecas que fazem o nosso corpo vibrar, são sensações ampliadas que nos fazem sonhar, são promessas não cumpridas que vemos esvoaçar e são “erros” que teimamos em repetir…mas se os repetimos talvez não sejam erros, talvez seja o nosso subconsciente a tentar dizer que a felicidade mora ali, que por muitas voltas que o Munda dê, o caminho vai invariavelmente levar-nos até lá, que sabemos sem saber que a tempestade antecede a bonança e que o nosso porto seguro estará lá.

Hoje anseio por um gesto que me continue a acreditar, um gesto que sei que nunca vai surgir…hoje anseio pela calmaria mas sei que só encontro tormento…hoje procuro um porto seguro mas continuo à deriva…hoje sei que o amanhã é composto de incertezas certas.